Ah, os vilões… Responsáveis por criar mocinhos, por fazer uma bela dama ser salva por grande galã, por nos fazer ficar com raiva de suas trapaças e torcer para que o grande ato heroico aconteça.

Como não apenas de heróis vivem os filme, decidimos explanar pra vocês os maiores e mais terríveis vilões da história do cinema.

1º: Hannibal Lecter

hanibal Superou todos os vilões da sétima arte em uma eleição do Instituto de Cinema Americano (AFI, na sigla em inglês) e, é claro, não poderia faltar nesta lista. Hannibal Lecter é o tipo de vilão que soa ameaçador mesmo por trás das grades, principalmente quando vivido por Anthony Hopkins.

O personagem ganhou tanta notoriedade e foi destaque em todo ano de 1991, que na cerimonia de premiação do Oscar 1992, quem estava lá recebendo a estatueta de Melhor Ator? Ele mesmo, Anthony Hopkins por sua estupenda atuação como Hannibal em O Silêncio dos Inocentes. Não deixem de ver o longa com o olhar penetrante de Lecter.

2º: HAL 9000

hal-9000-2001-a-space-odyssey

 Personagem da série literária escrita por Arthur C. Clarke que acabou imortalizado nas telonas por Stanley Kubrick em  2011: Uma Odisseia no Espaço, de (1968). Trata-se de um computador com inteligência artificial avançada responsável pelo funcionamento pela espaçonave Discovery.

HAL é capaz de falar naturalmente, realizar reconhecimento facial, fazer leitura labial, apreciar manifestações artísticas, raciocinar, expressar emoções etc. “Imagine: você confiar em uma tecnologia de IA que pode raciocinar, sem medo de perdas humanas para o bem da nave” – chocante.

HALL 900 está em décimo terceiro lugar na lista de Maiores Vilões de Todos os Tempos.

 

3º: Amon Göth

among   Todas produções que envolviam temas sobre a 2 Guerra Mundial, sempre causaram grande alarde e todas são muito aguardadas pelo público e pela crítica especializada. E  eis aqui um dos maiores vilões da história do cinema, que compõe o elenco de um dos filmes mais brilhantes já criados, Amon Göth.

Amon foi um oficial austríaco nazista e comandante do campo de concentração de Plaszów, na região de Cracóvia, na Polônia ocupada.

As ações de Amon Göth no campo de trabalho forçado de Płaszów ficaram conhecidas internacionalmente quando o ator britânico Ralph Fiennes o interpretou no filme A Lista de Schindler. Em uma entrevista, Fiennes falou:

 “As pessoas acreditam que se você fizer um trabalho você precisa assumir uma ideologia que eles tem para viver na vida; elas tem que sobreviver, ter um trabalho a fazer, é cada dia centímetro por centímetro, pequenas concessões, pequenos jeitos de dizer a si mesmo que assim é o jeito de você viver a sua vida e de repente essas coisas acontecem. Quero dizer, eu posso fazer uma decisão privada, isso é um homem horrível, mau e terrível. Mas o trabalho era representar o homem, o ser humano. Há um tipo de banalidade, no dia-dia, que eu acho que é muito importante. E estava no roteiro. De fato, uma das primeiras cenas com Oskar Schindler, com Liam Neeson, era uma cena em que eu dizia: ‘Você não entende o quão difícil é, eu tenho que pedir vários metros de arame farpado e tantas cercas, mover tantas pessoas de A para B’. E, você sabe, ele estava liberando a pressão sobre as dificuldades do trabalho. Eu fiquei próximo de sua dor. Dentro dele está um ser humano fraturado e miserável. Sinto-me dividido sobre ele, pena por ele”

Fiennes ficava tão parecido com Göth usando o figurino que quando Mila Pfefferberg, uma sobrevivente dos eventos, o viu, ela imediatamente começou a tremer de medo; “Ela não viu um ator. Ela viu Amon Göth”, disse Spielberg.

Por sua interpretação surpreendente, Fiennes ganhou o BAFTA de Melhor Ator Coadjuvante e foi indicado ao Oscar pelo papel.

A Lista de Schindler foi um secesso de bilheteria e vencedor de 7 Oscars, incluindo Melhor Filme. E é considerado um dos melhores filmes já feitos – imperdível.

 

About The Author

Lucas Matias

Cinéfilo, diretor de cinema e autor do Instagram: @_ocinefilo