“A Warner Bros. agora tem um problema:
O melhor Superman não está na tela grande do cinema, e sim na pequena da TV.”

– John Ostrander (quadrinista e criador do Esquadrão Suicida)


Para começo de conversa, acho que eu deveria deixar claro o quanto sou fã do Homem de Aço e o quanto ele moldou minha vida, com questões de dignidade, valores, compaixão, e acima de tudo, esperança. Também friso que respeito a visão cinematográfica atual de Zack Snyder sobre o personagem, mas não gosto. Aquele ali ainda não mereceu ser “Super”.

Confesso que tive o pé atrás no primeiro momento, quando saiu a notícia de escalação de Tyler Hoechlin como o último filho de Krypton. Conheço o trabalho dele em Teen Wolf, é apenas ok, nada incrível .

01

Primeiramente, sobre o que é o verdadeiro Superman (que muitos fãs xiitas não parecem enxergar no universo cinematográfico): O personagem foi criado em 1938 por Joe Shuster e Jerry Siegel, num período entre-guerras, no qual se preocupava apenas com vilões que sequestravam a mocinha com aparelhos de controle mental em um dirigível por aí.

“Isso é um trabalho para o Super-Homem”, gritava ao alto e avante a figura de pássaro e avião, enquanto surgia ao resgate com um sorriso estampado no rosto, enquanto tombavam balas inimigas e levava os meliantes à prisão sem nem mesmo um soco. O problema de se fazer isso hoje em dia é que é “chato”.

supergirl-season-2-superman-tyler-hoechlin

“Mas cadê as lutas infundadas? O drama interior? A pessoa real por trás do símbolo da Casa de El?” Afinal, heróis “coxinhas” não funcionam hoje em dia, certo? Certo? Errado. Uma série “de menininha”, que tem intrínseco em sua criação valores da luta feminista, empoderamento feminino e romances jamais acertaria o maior super-herói de todos os tempos.

Só que não. Devo dizer, desde a apresentação, Hoechlin como Clark Kent estava impecável. Ele era ingênuo, falava gírias da roça, desengonçado. Tipo um garoto do campo. Como Clark Kent deveria ser. E de repente, um foguete de testes teve problema na ignição. Quem poderá nos ajudar?

supergirl3-0

Será que agora veremos o homem do amanhã brilhar na pele de Hoechlin? SIM! É o Superman que chegou cortando os céus, acalentando os motores com seu sopro de gelo e no final do dia, confortando os cidadãos que ali passavam. Meu Deus, É O SUPERMAN, NOS DIAS ATUAIS E ESTÁ FUNCIONANDO. Esses dois episódios brincaram com tudo que fazia o Superman antiquado.

Como o Capitão América de Chris Evans tem feito sabiamente nos cinemas. E para completar, tivemos ação em uma luta incrível contra Metallo em Metrópolis, em frente a uma estátua dedicada ao Superman. Está pensando se a estátua é só o busto ou de corpo? Nenhum dos dois. É o símbolo. Porque a questão não é o herói em si, é o que ele representa.

03O Superman da série Supergirl foi o maior herói da DC em míseros dois episódios. É a melhor versão que temos do kryptoniano em anos, de fato. Li comentários pela internet mencionando ser a melhor versão desde o saudoso Christopher Reeve (Superman – O Filme, 1978).

Acho muito cedo para tal comparação, até porque cada ator que o fez, representou o Superman em determinado período ou situação de sua vida, cada um impressionante à sua maneira e tempo, mas me mantenho bastante ansioso para o que vem por aí.

02Com doses certas de humor, humildade, lutas, uso de poderes e até dramas internos (Não investiram tanto nisso até pela falta de tempo, mas foi implícito o quanto o Superman tem de ser perfeito aos olhos de todos e isso exige esforço), os fãs do escoteiro finalmente têm o que merecem. Os fãs do verdadeiro escoteiro, que honra sua capa.

Espero que essa versão sirva de exemplo para as vindouras, incluindo a de Liga da Justiça, e que possamos ver muito, mas muito mais desse Kal-El boa praça e ainda imponente o bastante para liderar uma liga de super-heróis.

E vocês, o que acharam desse Superman? Preferem o Cavill, o Reeve, ou outro? Eu particularmente gosto muito da visão de Dean Cain em Lois & Clark. (Além de Reeve, claro.) Espero que gostem da minha visão desse herói atemporal, e para o alto e avante, galerinha.