Falaa Reseter! Como que tu tá? ta legal? então viva! Hoje vamos trazer um clássico das antigas, um tesouro do spiderverse, aos que não conhecem, lhes apresento “A Última Caçada de Kraven”

NÃO CONTINUE LENDO SE VOCÊ NÃO QUER SPOILERS!!!

Em TODO universo de heróis, vemos o clássico, herói capturado e vilão se passa por ele, seja por troca de mentes, controle de mentes, ou uma troca de uniformes, e isso não é diferente nessa HQ.

Em 1987, a Marvel publicou o arco A Última Caçada de Kraven, escrita por J. M. DeMatteis e desenhada pelo Mike Zeck, com arte-final de Bob McLeod. A história em seis partes foi distribuída entre três revistas do Aranha: Web of Spider-Man, The Amazing Spider-Man e The Spectacular Spider-Man. A história foi lançada no Brasil pela Editora Abril, em uma mini-série em formato americano; depois, encadernada. A Panini relançou a hq encadernada em 2004.

Como foi devidamente avisado no início, este texto contém spoilers. Eu até pensei em  fazer uma versão sem eles, mas o final dessa história, seu clímax, é um dos fatores; se não o fator que faz dela uma HQ grandiosa e memorável do Homem Aranha. Então lá vai gente…  o Kraven morre no final. Desculpa aí.

O texto de DeMatteis é primoroso para a HQ em questão. E entenda “primoroso” dentro do contexto das histórias em quadrinhos de super-heróis.

Kraven cobiça o que o Homem-Aranha é, quer se tornar o que ele é e quer destruí-lo. Mas ele realmente o inveja? Será que o que de fato ele sente em relação ao aracnídeo não seria… admiração?

Ele mergulha em um profundo estado de introspecção, retomando as origens mais primordiais de um caçador. Abater a presa não é o mais importante, o grande caçador observa, ele compreende sua vítima, entra em sua mente… torna-se um com ela… e só então ele a abate. Em uma jornada insana pelo autoconhecimento, ele arrasta Peter Parker para um verdadeiro pesadelo, onde, involuntariamente, faz com que ele mesmo tenha sua própria chance de expurgar alguns fantasmas e lidar com algumas toneladas de culpa acumuladas em sua alma. E ao voltar a si retorna, senão totalmente isento de toda a mácula dos erros do passado, com uma revigorada vontade de continuar tentando acertar.

E Kraven cumpre seu ritual com perfeição simétrica até o final.

Mas espera… se ele é o caçador e o Homem-Aranha é sua presa, não tem alguma coisa errada nessa cadeia de eventos? Ao final do processo, a presa não deveria ser abatida?

O caçador observou, compreendeu e tocou a mente de sua vítima. Tornou-se um com ela.

A presa foi abatida. O caçador venceu.

Só pra lembrar, gostamos de sua opinião!!! Comente o que achou! E se curtiu, compartilha com os amigos!

 

6,852 total views, 1 views today

About The Author

Usuário aficionado de café; Fã de filme de herói; Novato nos mundos de HQ; Fotógrafo e Cozinheiro por acidente