Seis astronautas de diferentes nacionalidades estão a bordo da estação espacial internacional, cujo objetivo no momento é estudar amostras do solo marciano, dentre as amostras está um ser unicelular, tal descoberta é intensamente celebrada por se tratar da primeira forma de vida encontrada fora da Terra, porém essa forma de vida que sobreviveu às intempéries de Marte tem apenas um único proposito. Se Manter VIVA.

Firewall 1

Com essa história de fundo o filme do diretor Daniel Espinosa (Protegendo o Inimigo), consegue a classificação de Ficção científica e Suspense, porém essa classificação cai por terra minutos após seu inicio.

Tendo um elenco diferenciado, era esperado que o filme produzisse nos espectadores emoções primárias, assim como vistas em filmes de mesmo gênero, mas essas emoções são deixadas de lado em troca de pequenas tomadas e diálogos sem sentidos que poderiam muito bem ser esquecidos ou utilizados para se aprofundar mais na ideia de vida extraterrena, até a fotografia deixa a desejar tendo espaço apenas nos minutos iniciais da película onde os astronautas podem ser vistos realmente interagindo com o espaço, fato que nos imerge, porém nada bom dura para sempre.

Firewall 2

O conhecido do público Ryan Reynolds (Deadpool) seria o protagonista da película, mas por problemas na agenda o papel foi passado para Jake Gyllenhaal (Animais Noturnos), que tenta a todo o custo passar a ideia de uma pessoa que prefere não ter contato com as pessoas na terra, fato que entrega muito do que virá a se seguir no filme.

Outros personagens são pincelados, não tendo a devida profundidade para que nos importemos com suas mortes, fato que muda diretamente o gênero do filme de terror para horror, já que o terror é muito mais sobre ficar ansioso antes de algo horrível acontecer, enquanto o horror é o sentimento de repulsa logo após esse algo horrível vir a se concretizar.

Firewall 3

O filme tenta a todo custo se posicionar como uma releitura de outro clássico do terror, Sci-fi porém sua insistência em plagiar a receita de forma explícita em muitos momentos com vãs filosofias sobre a vida, apenas o faz se tornar outra grande falha nos cinemas.

Como dito por um amigo youtuber “Vida” pertence ao subgênero do suspense que se chama “filme de pessoas espertas burras”, no qual homens e mulheres com os títulos de doutores mais avançados em suas áreas simultaneamente passam a agir como completos idiotas, esse fato faz com que o filme perca totalmente seu prumo.

Nós somos o Ultimo Firewall

A película que deveria ser uma grande homenagem aos grandes clássicos do gênero se torna uma ode ao fracasso, mesmo sem spoilers é visível a todo momento como o filme irá decorrer, não havendo espaço para reviravoltas, e não estamos falando das mortes esperadas de quaisquer filmes de terror, mas sim das escolhas estupidas que levam a uma deterioração da situação dos astronautas.

E mesmo com a suspensão de crença o que é necessário para se validar as decisões nos filmes, o roteiro implica apenas em escolhas péssimas, onde se manter parado agiria muito melhor que quaisquer escolhas já feitas, furos no roteiro apenas servem como a cereja em cima deste bolo, mas se existe algo de bom nesse longa são os efeitos na criatura, a equipe realmente se importou com os efeitos tanto de textura, quanto de fluidez de seus movimentos, pontos para o filme que realmente nos deixa com medo de olhar para as costas no escuro do cinema.

Ps- Logo mais traremos uma matéria tratando dos estúdios que tem ultimamente tratado a inteligencia dos telespectadores como lixo nos últimos longas.