Um dos temas mais envolventes em uma discussão de cinéfilos – debate que, particularmente, é muito saudável e pode durar horas – é “A Era de Ouro do Cinema”.

Decidir e estabelecer uma Era de Ouro é uma tarefa árdua e que houve, há e sempre haverá contrastes de opiniões, que são o que deixam temas como este mais abertos.

Década de 20


Muitos cinéfilos alegam que a maior década do cinema é a Década de 20, pois foi caracterizado pelo início do cinema falado, que provocou uma mudança nos hábitos daqueles que frequentavam e faziam cinema – o surgimento do cinema falado foi uma evolução gigantesca para o cinema e para a economia mundial, que mais tarde veria o “Boom” econômico causado pelo cinematográfico.

Foi nesta década, 1920, que se popularizou o chamado “american way of life” e onde surgiram gênios como Charles Chaplin e o surgimento do Metro-Goldwyn-Mayer, conhecido popularmente como MGM.
As produções desta década se baseiam em filmes históricos, revolucionários e como a alavanca para o cinema. Alguns exemplos são:

metropolis_fritzlang

Metropolis – marco do cinema expressionista alemão.

 

1º: O Cantor de Jazz, com Al Jolson, inaugura o cinema sonoro, em 1927.
2º: O Gabinete do dr. Caligari, de 1920.
3º: Encouraçado Potemkim, de 1925.
4º: Metropolis (1927), do autríaco Fritz Lang, é a mais cara produção já feita na Europa, tornando-se um clássico da primitiva ficção científica. E produzido pela alemã UFA, privatizada em 1921, e que veicula o cinema expressionista produzido naquele país.
5º: A obra-prima de Chaplin, A Corrida do Ouro (1925).

Década de 70


Já outros cinéfilos, apontam o cinema da década de 70 como o melhor de todos os tempos. Foi nessa década em que grandes diretores se consagraram, como:

1º: Francis Ford Coppola, com O Poderoso Chefão que é considerado “culturalmente, historicamente e esteticamente significante” e foi selecionado pela Biblioteca do Congresso para ser preservado no National Film Registry. O American Film Institute apontou o como o melhor filme de gângster de todos os tempos e o segundo melhor filme da história na Lista dos melhores filmes estadunidenses.

2º: Stanley Kubrick entrega o clássico Laranja Mecânica – que é um filme que explora, sem pudor, a extrema violência e que faz uma forte crítica ao sistema penal e suas consequências no indivíduo.

fi.

 

3º: Martin Scorsese e Robert De Niro concretizam parceria de sucesso com Taxi Driver – que é considerado “culturalmente, historicamente ou esteticamente significante” pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, foi selecionado para ser preservado no National Film Registry em 1994.

4º: Steven Spielberg aponta como grande diretor com Jaws – foi bem recebido pela crítica, sendo considerado um clássico do cinema, e se tornou um grande sucesso de bilheteria, conseguindo o que foi à época o maior faturamento da história com 470 milhões de dólares.

5º: A guerra é retratada em Apocalypse Now, de Francis Ford Coppola, com Marlon Brando e Robert Duvall – ganhou ampla aclamação da crítica e seu efeito cultural e temas filosóficos têm sido largamente discutidos desde então. Hoje é fortemente considerado como um dos melhores filmes de todos os tempos

A década de 70 foi, sem dúvida, uma grande época para o cinema mundial e também foi quando surgiram atores que mais tarde seriam considerados “Os Melhores de Todos os Tempos”, como: Meryl Streep e Marlon Brando.

Década de 90


 

E então, eis aqui o meu cinema predileto: O Cinema da década de 1990.
Foi uma época importante para o Brasil, pois foi quando o cinema foi novamente tratado como assunto sério e Central do Brasil conquista a crítica do mundo todo, vencendo o Festival de Berlim e o Globo de Ouro.

Tom-Hanks-Forrest-GumpFoi a época mais rica do cinema. O Silêncio dos Inocentes entra para a História ao ganhar os cinco principais Oscars; A Lista de Schindler emociona e choca muilhões de pessoas pelo mundo; Forrest Gump apresenta um astro definitivo: Tom Hanks – que fez história ganhando dois Oscars de Melhor Ator consecutivos. Quentin Tarantino é revelado como um dos grandes gênios da modernidade e muda o rumo da linguagem cinematográfica ao revolucionar com Pulp Fiction. Um Sonho de Liberdade emociona com uma das mais belas histórias do cinema.

Nesta época, destacaram-se:
1º: Martin Scorsese mais uma vez inaugura a década, com seu grande sucesso Goodfellas (Os Bons Companheiros)

2º: Steven Spielberg finalmente alcança a glória com o emocionante Schindler’s List (A Lista de Schindler).
3º: Quentin Tarantino torna-se um marco no cinema com Pulp Fiction (Tempo de Violência), que se torna objeto de estudo e culto de toda uma geração.
4º: Jim Carrey tem mil caretas em The Mask (O Máskara)
5º: O diretor chinês Ang Lee estreia nos Estados Unidos com Sense and Sensibility (Razão e Sensibilidade).
6º: O Brasil desponta no cenário internacional com O Que É Isso, Companheiro?, indicado para o Oscar de melhor filme estrangeiro.

7º: Tim Burton explora toda sua criatividade em Ed Wood com Johnny Depp no elenco, com fotografia em preto e branco.

8º: Mel Gibson conquista o Oscar com o épico Braveheart (Coração Valente).

Enfim, são diversos os fatores que podem definir uma década, mas o mais relevante é pararmos para analisar e admirar o quão rico é o universo cinematográfico, e como cada época tem seu estilo diferente. O que define a Era de Ouro é a experiência e afinidade de cada cinéfilo.

About The Author

Lucas Matias

Cinéfilo, diretor de cinema e autor do Instagram: @_ocinefilo